domingo, 17 de junho de 2012

TODO CONHECIMENTO REAL PROVÊM DA EXPERIÊNCIA


          o empirismo é uma doutrina filosófica ou teoria do conhecimento segundo a qual todo conhecimento humano deriva ou indiretamente, da experiência, quando sonhamos desenvolvemos imagens oriundas do nosso dia a dia, nada fora da nossa experiência nos é apresentado, onde implica, também, que todas as nossas ideias ou conceitos têm primordialmente sua origem na experiência.
          tal é a vida comum dos homens, como diz sexto, ‘é com efeito, suficiente, penso viver empiricamente e a-dogmaticamente conforme as observâncias e as pre-noções comuns suspendendo o juízo sobre as coisas que se dizem a partir da sutileza dogmática e que estão muitíssimo afastadas do uso da vida’.
          e vimos acima que sexto louva a escola metódica de medicina por seguir de perto os fenômenos e a vida comum, como fazem os céticos.
          todo conhecimento deriva direta e indiretamente da experiência, até a maneira de pensar bem como os conceitos que vamos formando no nosso cotidiano, daí a razão de quem pensa livremente não aceitar o dogma, uma verdade religiosa que não aceita questionamento, é o ponto fundamental de uma doutrina e, por extensão, de qualquer doutrina ou sistema de controle.
           quanto ao método, este segue uma ordem na investigação da verdade, no estudo de uma ciência ou para alcançar um fim determinado, raciocínio utilizado para se chegar ao conhecimento ou a demonstração de uma verdade, processo ou técnica de ensino, modo de proceder, tratado elementar.

anibal werneck de freitas.

4 comentários:

  1. Caro amigo Aníbal:
    Que bom poder escrever novamente para este "produtivo" amigo, que é você. Aliás, se "poiésis" é a "produção", em grego, você bem faz jus ao título de "poietés", ou seja, é um verdadeiro "poeta".
    Sobre o post, gostaria de fazer alguns comentários.
    Não sei de onde você tirou a inspiração para escrevê-lo, mas há alguns pequenos problemas.
    O "Empírico", da alcunha "Sexto Empírico", se refere justamente à escola de Medicina do nosso amigo, ou seja, a Escola Empírica... e não a "Metódica", como está referido acima.
    Em segundo lugar, na verdade, nosso amigo Sexto entra para a História da Filosofia não como um "empírico" - expressão que, a bem da verdade, do ponto de vista da Epistemologia/Teoria do Conhecimento, só aparece na Modernidade -, mas como um cético. Aliás, no próprio post, você cita a "suspensão do juízo" (a "epoché"), que é a característica fundamental do Ceticismo, com o intuito de alcançar a "ataraxia", ou seja, a "imperturbabilidade da alma", e, com isso, a "eudaimonia", isto é, a "felicidade".
    E felicidade é tudo o que nós - todos - queremos.
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. meu caro e sábio amigo ricardo,
    em primeiro lugar fico lisonjeado com os elogios vindos de uma pessoa que eu admiro e respeito muito e, como de sempre, reconheço o meu erro provindo de uma dedução apressada, a pressa nunca foi uma boa conselheira, do texto de 'ensaios sobre o ceticismo,no qual diz, 'No século I antes de C, surge a escola dos Metódicos que, embora mais afins com o Empirismo médico (de que eram como uma dissidência), desafiaram empiristas e racionalistas', portanto meu caro amigo, isso confunde um pouco a gente e tem mais, neste mesmo livro, na página 25 do livro, sexto empírico afirma explicitamente a afinidade entre o ceticismo e a medicina dos metódicos, o que só agora vejo que não significa que ele [sexto] esteja afim também do método, mostrando que estou realmente equivocado, portanto, meu caro amigo, você tem toda a razão.
    abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, fico muito feliz com o "caro amigo Ricardo", mas não posso deixar de "reclamar" e de discordar do "sábio", que acompanha a tal referência.
      Minha intenção não foi destacar nenhum engano, mas só esclarecer algo que poderia estar meio confuso. Aliás, confusão em textos é o que mais achamos na internet, e você poderia simplesmente ter sido vítima de mais uma dessas informações truncadas que por aí circulam.
      Você sabe que, por uma dessas coincidências (Será mesmo coincidência?), semana passada eu participei de um colóquio sobre Ceticismo onde uma das comunicações era justamente sobre os conflitos dessas escolas de Medicina (Empírica, Dogmática e Metódica) e seu impacto sobre a Filosofia? O palestrante, Rafael Huguenin(PUC-Rio),apresentou o que é um primeiro esboço de sua tese de doutoramento sobre o assunto. Muito bom.
      Abração, meu caro - e poético - amigo.

      Excluir
  3. meu caro amigo,
    gostaria de lhe fazer a seguinte pergunta, você já leu 'ensaios sobre o ceticismo' um livro interessante organizado por plínio junqueira smith e waldomiro josé da silva filho, se ainda não o leu,leia-o e depois dê-me o seu parecer a respeito do dito cujo, quanto o mais, você é um cara bacana, com o qual estou aprendendo muito, minha formação é a de história, gosto muito, mas a filosofia é muito mais fascinante, até porque a gente estuda uma história sob a visão do dominador, a filosofia nos liberta.
    ricardo continue assim, você está no seu caminho.
    um abração do amigo,
    anibal.

    ResponderExcluir

ANGELS AND DEMONS

The angels are flesh and blood, they are always helping and protecting us, are our parents, siblings, friends, even strangers. Thanks to th...