quarta-feira, 19 de outubro de 2016

SAINDO DAS TREVAS


O Espiritismo é realmente algo que vale a pena ser estudado, é mais filosofia que religião, melhor dizendo, é mais ciência que filosofia.
Segundo Waldo Vieira, o criador da Conscienciologia, já falecido, o maior problema desta nova forma de abordar o invisível, ou seja, o Espiritismo, é ter abraçado o Cristianismo como se ele fosse uma tábua de salvação, para divulgar o conhecimento kardecista, uma vez que a maioria professa a religião de J. Cristo que foi amplamente divulgada pelo Império Romano.
Do mundo espiritual temos a sua revelação, através do momento em que estamos na segunda via, ou seja, sonhando. Quando dormimos, nossa glândula pineal se abre para um mundo onírico, onde podemos entrar em contato com os habitantes do espaço, ou seja, os espíritos.
Voltando à questão da interferência do Cristianismo no Espiritismo, devo dizer que ele bloqueou em muito este fantástico conhecimento, o qual chamamos de Espiritismo. Fundindo com o Cristianismo, o Espiritismo não se universalizou, o que foi uma pena, talvez, por isso, o seu crescimento continua tacanho. O Livro dos Espíritos, de Alan Kardec, explica de forma racional, coisas que as religiões tentam explicar de maneira fantasiosa.
Eis aí a razão pela qual nós vivemos ainda na Idade das Trevas. O homem precisa se libertar dessas crenças sem pé e sem cabeça, que não fazem nenhum sentido, elas não deixam a gente sair da Caverna de Platão para podermos conhecer o mundo verdadeiro, elas estão aí para manter o homem bitolado, atrasado, submisso, enfim, ignorante.
Devo dizer que religiões, como o Budismo, o Hinduísmo ou o Candomblé, estão mais próximas do Espiritismo, porque elas, também, estão direcionadas ao mundo invisível, porém um pouco aquém do Espiritismo que, à luz da sabedoria, consegue explicar satisfatoriamente o mundo em que vivemos. É bom deixar bem claro que estou falando de um Espiritismo puro, aquele que já era do conhecimento de muitos sábios da antiguidade e que Kardec codificou magistralmente.

anibal werneck de freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A VIDA NÃO É O QUE PENSAMOS  OU DEIXAMOS DE PENSAR.