SEMINÁRIO N. S. APARECIDA

terça-feira, 3 de março de 2015

DA QUANTIDADE SURGE A QUALIDADE


Caímos num vácuo de rotas, nunca tivemos tantos criadores, tanta produção cultural enchendo nossos olhos e ouvidos com uma euforia medíocre, mas autêntica, É uma sentença infeliz, extraída do texto, O assunto é o autor do autor, de Arnaldo Jabor, publicado no jornal, O Tempo, em 3.3.15, que soou como puro preconceito, dando-me a entender que só os famosos são qualitativos devido ao modo radical da sua crítica, agora, o problema é que o mundo está caminhando para o dia em que os consagrados não existirão mais como casta pura e única, todos terão a sua vez e em meio a tudo isso, continuaremos com os bons, os medíocres e os ruins, e, quanto ao Jabor, tal como Dom Quixote, está na verdade confundindo moinhos com monstros.

anibal werneck de freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NÃO DÁ PRA FICAR CALADO

Confesso que não estou aguentando mais este silêncio de Deus frente aos horrores que vêm acontecendo no planeta. Será que as religiões estão...