SEMINÁRIO N. S. APARECIDA

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A CAVERNA DE PLATÃO


Cada pessoa vê o mundo do seu modo, o verde pra um é azul e por aí vão as coisas, a visão de mundo é diferente dentro de cada um de nós, é como se fôssemos desligados do Universo, nada a ver um com o outro, melhor dizendo, somos mundos distintos, daí a razão da diversidade enorme de ideias a respeito do cosmos, se hoje continuamos assim, imagine na antiguidade e na idade média, aparentemente, parece-me um caso sem solução, todavia, temos duas coisas, nas quais somos parecidos, seus nomes, prazer e dor, estes são iguais pra todo mundo, não existe prazer e nem dor diferentes, até nos animais funcionam do mesmo jeito, são as duas coisas que movem o mundo, uma depende da outra, sem a dor não teríamos ânimo para atingir o prazer, explicando melhor, não precisaríamos fazer nada, sendo assim, os filósofos dizem que ambos são a mola do progresso que impulsiona a evolução da humanidade.
anibal werneck de freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NÃO DÁ PRA FICAR CALADO

Confesso que não estou aguentando mais este silêncio de Deus frente aos horrores que vêm acontecendo no planeta. Será que as religiões estão...