sexta-feira, 2 de maio de 2014

A CRENÇA É IRRACIONAL


Não querendo ser radical, devemos acreditar ou não acreditar? Se você acredita em Deus, algo que você não vê, creio que isso lhe coloca na mesma situação de uma criança que acreditar no Tucanlino, um personagem que eu criei. A mesma coisa tem a ver com a crença em Deus. Assim também o árabe que acredita em Alá. Ou o hindu que tem Brama como seu Ser Supremo. Já no caso da descrença, você se sai melhor. Ou seja, não acreditando em Deus, você está coerente porque nas demais coisas não acreditará, também. Corrige-me se estiver errado no meu raciocínio lógico. Vamos ao seguinte silogismo: A crença é irracional, o homem é racional. Logo, o homem por natureza é descrente. Não quero com isso dizer que sou contra os crentes. O que estou querendo dizer é que agindo assim, estaremos contra a nossa racionalidade, ou seja, inteligência. Existe aí uma incoerência muito grande. Deste jeito estaremos agindo contra a nossa espiritualidade, ou seja, a única razão que temos e sentimos através da nossa mente que é a ponte existente entre o cérebro e a espiritualidade.

anibal werneck de freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A VIDA NÃO É O QUE PENSAMOS  OU DEIXAMOS DE PENSAR.