SEMINÁRIO N. S. APARECIDA

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

BATE -ESTACA & CAFEZINHO



Moro no centro da minha cidade numa rua comercial, como você pode notar, não se trata de uma rua silenciosa, acontece que não me importo com o barulho peculiar do local, pois bem, o que torra a minha paciência é a mania nossa de valorizar o que é de fora em detrimento do que é nosso de bom, estou me referindo à truculenta música bate-estaca vinda das casas comerciais que vara o dia perturbando os nervos de quem mora próximo, não sou contra colocar música, todavia, ficar neste tum-tum-tum, direto e reto, ninguém aguenta, porque não colocam a nossa música popular, sou obrigado a dizer que nós brasileiros não temos cultura, ainda somos colonos, pra que servem as nossas escolas, pelo visto, pra nada.
Em tempo, este país é realmente uma vergonha, na Folha de S.Paulo, de domingo, 24/02/2013, segunda página, no artigo, Vai aí um cafezinho?, da Eliane Cantanhêde, ela, nos deixou bem claro que o Tribunal de Contas do Distrito Federal paga um salário que varia de R$ 12.820,51 a R$ 19.115,36 aos seus funcionários, que têm apenas o quarto ano do ensino fundamental, para servirem cafezinho, limpar as salas e os banheiros, enquanto que professores, médicos, engenheiros, pessoas que têm o curso superior não ganham nem a metade da metade da metade. Não que eu esteja menosprezando o trabalho desta gente, o problema é que eles não estudaram, é realmente lamentável este país, é aí que pergunto, Pra que serve o Tribunal de Contas.

Anibal Werneck de Freitas.

4 comentários:

  1. Caro Anibal, essa nossa mania brasileira de achar legal tudo que vem de fora é que esta nos matando culturalmente, eu nao sei se o amigo gosta, mas eu detesto o programa da Regina Casé o tal do esquenta, é um tal de se ouvir pagodes de quinta categoria e de vez em quando concursos edificantes como a Garota Periguete do MOrro do Alemao e por aí vai, acho essa ode dela a periferia de um mau gosto terrível, alias acho incrível um morador da comunidade do Alemao, ter UPP, bares , comercio farto e nao pagarem IPTU como eu pagou e pagarem conta de Luz subsisdiada, tv a cabo subsisdiada, eu amigo quero distribuiçao de renda justa , mas nao um sujeito que resolveu morar numa favela e nao quer pagar imposto algum ,mas é o primeiro a exigir melhorias na comunidade.Outra coisa estas dispariadades salariais nao é culpa do cara que ser ve o cafezinho e sim de uma coisa que no Brasil se chama emprego publico especial, vc sabia que tenho um Primo aposentado do TCE RJ como motorista que nao tem segundo grau Completo e leva todo mes de aposentadoria a bagatela de 25 mil reais e mora num condominio na Barra dos mais caros do RJ e tenho outro que trabalha tambem no TRibunal de Contas como Economista com Pos Graduaçao e diversos cursos no curriculo e exerce uma funçao mais chata de que é fiscalizar as contas de diversos municipios e nao de dirigir um carro e este com mais graduaçao ganha 15 mi reais é um bom salario tb, mas seria melhor ser motorista do TRibunal né.Esse nosso Brasil é um colosso de diferença em vatios aspectos, cada vez me arreependo mais de nao ter feito um concurso publico, de repente melhor fazer um para servir cafezinho do que para ser economista, outra coisa um Guarda Municipal de Duqe de caxias aposentado estava ganhando 56 mil de aposentadoria é ou nao é um escandalo

    ResponderExcluir
  2. pois é, fê,
    e, deste modo, nós ficamos pagando tudo quanto é imposto, sou professor do estado aposentado e o leão tá sempre tirando a sua lasca sem dó, pago tudo que tenho, nosso sistema tributário é do tempo do onça, o pequeno paga igual o grande, aliás, no Brasil, as leis foram feitas para os ricos, onde já se viu pagar fiança pra sair da cadeia, isso não existe, é um absurdo, se está preso, está preso e pronto, é por isso que o pobre fica na cadeia, não tem dinheiro pra sair, o filhinho do papai não fica nem um segundo no xilindró, vivemos no pior país do mundo, somos um povo cheio de preconceitos, porque não, ignorante mesmo, os que têm mais são geralmente arrogantes, se acham donos do mundo, quem tem carro olha de forma indiferente para o que não tem e por aí vai a palhaçada, infelizmente, este país que tem a cara de bonzinho é só fachada, os patrões tratam seus empregados como se ainda fossem escravos, são tão ignorantes [a maioria] ou espertos, que acham o salário ser a única obrigação deles, não estão nem aí para com a vida do trabalhador, ou seja, não se preocupam com a educação dos seus filhos, com a saúde da sua família, com o lazer e com a moradia, são tão burros que não sabem que um empregado bem tratado produz muito mais, enfim, este é o país que nós vivemos, onde um grupo de famílias ricas monopolizou os meios de comunicação, isso só existe em países atrasados, onde já se viu, uma tv ser porta voz do governo, você sabe de qual estou falando, aliás, conversando recentemente com um amigo que pensa como a gente, ele observou uma coisa interessante e que acho ilegal, trata-se do plim-plim da globo, o sinal tem uma frequência acima da do canal que faz ser ouvido de longe, isso não está certo, é um sinal que denota domínio, e por aí vai, companheiro, tem muita coisa errada neste país que deixa o mensalão como coisa de criança, é isso aí.
    anibal.

    ResponderExcluir
  3. Meu caro Aníbal no que escreveu discordo apenas na parte que citou que empregado bem tratado rende mais, há controvérsias e explico porque, tive empresa e pagava salário acima do mercado, dava plano de saúde, cesta básica , emprestimos divididos em 10 vezes sem juros , aumento de salário acima do que o sindicato determinava, alias o sindicato determinava apens o piso, o resto que eudava era por minha propria conta, o sindicato nao mandava dar os beneficios que citei, pagava as horas extras trabalhadas e quando a empresa exigia plantao aos domingos, pagava alimentaçao em dobro do que o sindicato recomendava, amigo tive 23 funcionários, 5 no máximo procuravam render mais por terem beneficios, a maioria nao cumpria metas e quando a empresa começou a ir para o buraco a maioria correu fora pedindo acordos, nao foram a causa principal do negocio nao ter vingado, mas literalmente nao vestiam a camisa, um dos fatores da minha quebra foi a demora em fechar a empresa para nao causar desemprego para eles, mas em troca o que recebi foi descaso, hoje tenho ex funcionario que esta melhor de vida do que eu, uma coisa que aprendi , existem bons patroes e bons empregados, mas a maioria é formada de maus patroes e maus empregados, essa é a realidade de um sujeito que viveu o lado de empregador e hoje esta atolado em dividas , Graças a Deus nenhuma trabalhista , por causa de um sonho de ser empreendedor num Pais em que o que se privilegia é a corrupçao , como nao era um corrupto , hoje estou na maior pindaíba.

    ResponderExcluir
  4. Amigo Fê,
    o problema é que o nosso empregado na maioria não tem a formação devida para valorizar uma empresa que é justa para com ele, falta aí uma educação adequada, na Europa, por exemplo, as empresas que tratam seus subordinados com respeito são as mais bem sucedidas, elas [as empresas] criam até momentos de lazer na hora do serviço, a coisa é complicada, não são os bons salários que cativam o trabalhador, o que conta mais é o relacionamento, o bom trato do patrão para com o empregado, enfim, o ambiente que o leva a se sentir em casa, aí sim, a coisa vai funcionar bem e tem mais, o empregador tem por obrigação saber a tendência e o gosto de cada um dos seus empregados, para colocar a pessoa certa no setor certo, nunca fui patrão, mas eu acho que é por aí.

    ResponderExcluir

QUANDO A MÍDIA ANUNCIA UMA GREVE, O GREVISTA É O PRIMEIRO AFETADO.